sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Lançamento do livro Bruxas em 2012

Com muita alegria, anuncio a todas as bruxas, bruxos e simpatizantes o lançamento do livro BRUXAS em 2012 pela editora Ícone. O livro foi dividido em sete partes:

Parte 1 – aborda o povoamento do continente europeu a partir de 10.000 a.C. até o surgimento dos povos celtas na Europa continental, assim como sua expansão por todo continente até a Ásia Menor e nas ilhas, especialmente Grã-Bretanha e Irlanda, com fundamento na Arqueologia e nos relatos dos autores clássicos gregos e romanos.
Parte 2 – o tema central é a religião celta e seu sistema de crenças, organização, sacerdotes e práticas, com fundamento na Arqueologia, autores clássicos e Mitologia Céltica.
Parte 3 – parte introdutória à prática da Magia Celta através de conceitos e esclarecimentos sobre o tema.
Parte 4 – aborda a prática da Magia Celta na atualidade, começando pelos Rituais Elementares que formam sua base.
Parte 5 – contém a tradição de Magia Celta do Clã Black. São rituais mais complexos que exigem certa experiência e conhecimento por parte dos bruxos praticantes da Magia em geral. Possui diversos encantamentos, rituais, feitiços, etc.
Parte 6 – nesta penúltima parte, os leitores encontrarão minhas observações e estudos sobre as bruxas e a prática da Magia, desde a Antiguidade até os nossos dias. São alguns temas o Malleus Maleficarum, a história desta obra e as conseqüências devastadoras às quais deu origem; o que a igreja católica usurpou e deturpou da religião celta; bruxas e Jesus, dentre outros.
Parte 7 – traz o alfabeto e oráculo dos celtas, o Ogam, também conhecido como “O alfabeto celta das árvores” ou “O oráculo celta das árvores”. Os símbolos ogâmicos podem ser usados pelos bruxos como oráculo, como poderosos talismãs e ainda como escrita encantada.
Anexos – são informações úteis e por vezes necessárias, à prática da Magia em geral, como o significado das cores, dos números, etc.
O livro traz várias ilustrações das casas das bruxas celtas, vestimentas, Espaços Sagrados, etc. Assim que souber a data do lançamento, avisarei a todos. Acompanhem também através da revista UP Universos Paralelos: www.upuniversosparalelos.com.br
A deusa que há em mim saúda a deusa ou o deus que há em você!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Talismãs - Parte 1

Nesta edição, ensinarei alguns símbolos egípcios mais importantes que podem ser usados como amuletos. Acompanhe na próxima edição da revista Universos Paralelos símbolos de outras civilizações antigas.

Introdução

A palavra ‘amuleto’, em latim ‘amuletu’, vem do árabe e significa “para conduzir, carregar”. Já a palavra ‘talismã’ tem origem no idioma persa ‘tilism’, em grego ‘telesma’, e é “objeto de formas e dimensões variadas, ao qual se atribuem poderes extraordinários de magia ativa, possibilitando a realização de aspirações e desejos”. Na verdade, ambos possuem a mesma função: emanar determinadas energias, beneficiando seu usuário. 

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Aos leitores

Convido a todos os leitores deste blog a participarem do grupo UP - Universos Paralelos no facebook. Infelizmente, não estou conseguindo visualizar meus seguidores para convidá-los pessoalmente, entretanto, aqui está o convite. Para quem ainda não leu a revista, vale dar uma olhada. São edições mensais, publicadas sempre no primeiro dia de cada mês e está cada vez mais interessante, recheada de assuntos diversos. São artigos sobre música, magia atemporal, tarô, arqueologia, meditação, terapia holística, arte e artesanato, curiosidades, entrevistas, matérias sobre os animais, etc. Acesse o link e boa leitura.

Obsessão

CONCEITO E ESTUDO DA OBSESSÃO APLICADOS À MAGIA

“Pergunta 467 do Livro dos Espíritos, de Allan Kardec: Pode o homem eximir-se da influência dos Espíritos que procuram arrastá-lo ao mal? Pode, visto que tais Espíritos só se apegam aos que, pelos seus desejos, os chamam, ou aos que, pelos seus pensamentos, os atraem.”

Para este artigo, tomei por base os livros da doutrina Espírita Kardecista, por trazerem estudos aprofundados sobre o assunto. Considerei, ainda, os meus mais de 15 anos de experiência em trabalhos mediúnicos de orientação aos desencarnados, também chamado de ‘desobsessão’, e mais de 20 anos de prática e estudos na Magia e na mediunidade.
Entendo ser da máxima importância que bruxas e bruxos saibam o que é a obsessão e como se proteger. A prevenção e proteção são possíveis ao conhecer os processos obsessivos e suas causas.

domingo, 24 de abril de 2011

30 de abril: Feliz Ano Novo!

Vocês sabiam que os povos faladores das línguas célticas comemoravam o ano novo no pico do Inverno, que no hemisfério norte ocorre em 31 de outubro e no hemisfério sul em 30 de abril? Pois é. Na véspera de 31 de outubro toda a comunidade se reunia para dar início ao ritual que duraria três noites, presidido por uma druidisa e um druida, iniciando-se com o acendimento da grande fogueira ritualística, de onde era extraído o fogo sagrado que alimentaria as lareiras de todas as casas até o final do Inverno.
Era o Samhain,

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Meu livro de Magia Celta...


Quando decidi escrever um livro sobre magia, mil perguntas ocorreram-me: “Outro livro sobre magia? Já não existem livros suficientes sobre esse assunto?”; “O livro precisa ser diferente, levar mais informação sobre magia ao público. Mas como, se tanto tem sido dito sobre magia até então? Diferente como?” Estava realmente difícil eu descobrir exatamente que tipo de obra eu queria produzir.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Magia Atemporal

            Desde a pré-história, o ser humano pratica rituais de magia. Prova disso são os desenhos de animais encontrados pelos arqueólogos no fundo de cavernas do mundo inteiro, provavelmente com o objetivo de facilitar a captura do animal ali representado, bem como, oferendas depositadas nestas mesmas cavernas.
            Na Antiguidade, antes que os seres humanos pudessem tomar consciência de si mesmos, de suas qualidades e potenciais, antes que pudessem adquirir conhecimentos de ciências, de astronomia pela observação das estrelas ou da medicina das plantas, puderam sentir a força da Criação se manifestando ao seu redor através da Natureza. Consideravam que a lua e o sol eram deuses, ou seja, Criadores, e conseqüentemente, os fenômenos naturais e tudo o que existia deveria ser a expressão dessa Criação.
Para entrar em contato com esse poder, o ser humano passou a praticar rituais de magia,